Madonna não é estranha a uma roupa incomum - mas em sua última sessão de revista, ela causou um impacto ao se despir, em vez de empilhar os sutiãs em forma de cone.


Mert Alas e Marcus Piggott

Conversando com David Blaine por Entrevista , Madge discutiu o uso de drogas, o fracasso e sua obsessão pela morte - mas enquanto suas fotos atrevidas fornecem alimento para o pensamento, suas citações também ...

Madonna em um dia inteiro de silêncio ...



'Eu acho que realmente aprecio isso, quietude e tranquilidade, porque sinto que as pessoas estão sempre falando comigo, às eu, perguntando coisas, me questionando, querendo informações, trabalho, música, barulhos altos, crianças - é interminável. Portanto, a ideia de um dia inteiro de silêncio me parece muito sedutora.

Mert Alas e Marcus Piggott

Madonna em fazer sua carreira parecer fácil ...


“Estamos no mundo de criar ilusões e dar às pessoas a capacidade de sonhar e de serem inspiradas ou movidas. Então você não quer que as pessoas vejam o trabalho por trás disso. Também fui treinado para que, como dançarina, não importa o quanto você esteja sofrendo, seu rosto está relaxado. Você tem que criar essa ilusão. Isso faz parte do seu trabalho.

Mert Alas e Marcus Piggott

Madonna na morte ...


'Fiquei muito obcecado com a morte, e a ideia

que você nunca sabe quando a morte chegará, então é preciso fazer o


sempre que possível para tirar o máximo proveito da vida. Naquela

seria uma força motivadora. E a morte foi uma grande parte da minha vida

crescendo. Eu fui a muitos funerais.

Mert Alas e Marcus Piggott

Madonna sobre o bem e o mal ...


'Somos todos bons, intrinsecamente, apenas cobertos às vezes de sujeira e escuridão, e nosso trabalho é livrar-nos disso, retirar as camadas e revelar nossa bondade.'

Madonna por estar cercada por pessoas criativas ... “Fui atraído por pessoas criativas. Você não quer ser a pessoa mais inteligente da sala; você quer ser o mais idiota da sala. Você quer estar cercado por outras pessoas que pensam que vão dizer algo que o faz pensar: 'Oh, meu Deus, essa é uma idéia incrível. Por que eu não pensei nisso. ''

Mert Alas e Marcus Piggott

Madonna na inspiração ...

“Eu nunca poderia trabalhar em um estúdio de gravação onde você tem essa vista linda, uma praia e as ondas estão quebrando. Para mim, é tudo sobre estar em uma pequena sala com pequenas janelas. É quase como se você estivesse em uma prisão. E você pode criar beleza quando está nesse tipo de ambiente privado, que é uma recriação de seus anos de formação. '

Madonna em uso de drogas ...

'Bem, não, é sobre como as pessoas tomam drogas para se conectar a Deus ou a um nível superior de consciência. Eu continuo dizendo: 'Conectando-me à matriz'. Se você fica chapado, pode fazer isso, e é por isso que muitas pessoas tomam ácido ou usam drogas, porque querem se aproximar de Deus. Mas haverá um curto-circuito, e essa é a ilusão das drogas, porque elas dão a você a ilusão de se aproximar de Deus, mas, no final das contas, elas o matam. Eles te destroem. Quero dizer, eu tentei de tudo uma vez, mas assim que fiquei chapado, gastei meu tempo bebendo toneladas de água para tirá-lo do meu sistema. Assim que eu estava chapado, fiquei obcecado em tirar tudo de mim. Eu estava tipo, 'Ok, eu terminei agora'.

Mert Alas e Marcus Piggott

Madonna em apresentar letras de músicas ...

'Minhas crianças. Coisas que eles dizem. Tipo, meu filho veio ao estúdio outro dia e disse que não queria ir para casa. Eu disse: 'Não, você tem que ir para casa; está na hora de dormir. E ele disse: 'Mãe, sinto que estou isolado do seu coração'. Eu fiquei tipo, 'Oh, essa é uma boa fala. Eu tenho que usar isso. Você consegue em todos os lugares, o alto e o baixo. Você tem que estar aberto a tudo. O sofrimento é um grande informante, um grande catalisador para a criação. Você pega sua tristeza, seu desespero, seu senso de injustiça e o coloca no seu trabalho.

Mert Alas e Marcus Piggott

Madonna sobre o que ela acha que a profissão mais importante é ... Prostituição, é claro. Madonna por falhar ...

“Não estou dizendo que sou bom em falhar, mas se você é um artista e está no processo de aprendizado, aceita que vai ser péssimo. Ando a cavalo e, depois de não andar por um tempo, sempre digo ao meu instrutor: 'Ok, finja que sou iniciante. Eu não quero pular. Não quero fazer nada extravagante. Só quero fingir que sou iniciante. E eu não me julgo. Se eu estragar, eu já coloquei lá fora que eu vou chupar. Meus filhos me levam a fazer muitas coisas que eu normalmente não faria. Eu navegava porque meu filho ficava me incomodando. Esquio porque meus filhos continuam me incomodando. E eu digo: 'Bem, por que não? Eu vou chupar, então tudo bem. Eu sou bom com isso ... Fracasso é um desafio. O fracasso é um convite.

Mert Alas e Marcus Piggott

FONTE: Entrevista

Evolução do estilo de Madonna

Evolução do estilo de Madonna